Há dois anos à espera do comboio. Pela reposição do Sud Expresso e do Lusitânia

Faz hoje dois anos que o Sud Expresso e o Lusitânia – os únicos comboios que ligavam Portugal a Madrid e a França – deixaram de circular. A razão invocada foi a pandemia de covid 19. Enquanto todos os serviços afetados pela pandemia foram sendo retomados, continuamos privados da alternativa mais cómoda e ecológica para viajar ao estrangeiro.

Cada dia que passa sem estes serviços é mais um dia sem liberdade de escolha, mais um dia de cedência aos lóbis da aviação, da rodovia e das petrolíferas (nestes dois anos, o Estado atribuiu 2.2 milhões de euros de ajudas à TAP) e mais um dia sem cuidarmos do planeta em plena emergência climática.

Esta suspensão desloca mais passageiros para a aviação, que é o meio de transporte mais poluente e a fonte de gases com efeito de estufa que mais rapidamente cresce. Madrid é neste momento o principal destino dos passageiros do Aeroporto Humberto Delgado – uma viagem que pode ser substituída de forma fácil, prática e económica pelo comboio.

“Não só sinto saudades do ambiente lindo e das pessoas do Sud Expresso, como fui deixado sem opções para uma viagem ecológica para visitar os meus amigos e familiares”, afirma Gualter Barbas Baptista, que utilizou o Sud Expresso várias dezenas de vezes, primeiro para descobrir a Europa e, desde que vive na Alemanha, para vir com a família a Portugal. “O cancelamento destes comboios noturnos é uma ofensa quer para nós emigrantes, quer para as gerações mais novas, que mais vão sofrer com o aumento de emissões do tráfego aéreo. Por favor devolvam-nos estes comboios e ajudem a construir uma rede sustentável de comboios noturnos através da Europa. Isto é o futuro.”

Este é apenas um entre dezenas de apelos, em inglês, português, francês ou alemão, das pessoas que têm assinado a petição “Ligar a Península Ibérica e a Europa Central com comboios noturnos”. “Não há desculpa para terminar a ligação ferroviária entre Portugal e a Europa – é apenas cegueira burocrática”, “Comboios noturnos são uma solução criativa para lidar com as alterações climáticas – precisamos de mais, não menos”, “Viajar à noite é viver de dia”, “As férias começam no comboio”, pode também ler-se. Uma petição assinada por mais de cinco mil pessoas, dirigida aos governos português e espanhol, que ainda não deram qualquer resposta.

A campanha ATERRA apela a todas as pessoas para assinarem a petição e apela ao governo e à CP para repor urgentemente o Sud Express e o Lusitânia, investir na melhoria destes serviços, fazer chegar o comboio noturno até Paris e abrir uma nova ligação noturna entre Lisboa e Barcelona. Isto colocará as capitais de França, Espanha e Catalunha a uma hora de distância de Lisboa: meia hora para adormecer e meia hora para despertar.

“Temos de recuperar urgentemente as linhas de comboio noturno que conectam a Península Ibérica com a Europa. Há uma procura social por este tipo de serviços como forma de mobilidade eficiente e sustentável”, afirmam desde Madrid os Ecologistas en Acción. “Os comboios noturnos podem e devem ser uma alternativa ao avião na União Europeia se queremos cumprir com os objetivos de redução de emissões que nos propusemos.”

“Novos comboios noturnos estão a começar por toda a Europa. Muitas pessoas em França têm família em Portugal. Precisamos de um comboio noturno para Portugal”, afirma o coletivo francês Oui au train de nuit (“Sim ao comboio noturno”), que desde 2020 tem apelado ao regresso do Sud Expresso. “A viagem Lisboa – França é de mais de 1000 km. Comboios diurnos durarão sempre várias horas. Precisamos de um comboio noturno para viajar sem perder tempo, enquanto dormimos”.

A decisão de manter Portugal isolado vai contra a tendência atual na Europa, onde os comboios noturnos estão a ser fortemente reavivados, através de novas ligações como Roma – Amesterdão, Viena – Munique – Paris, ou Berlim – Bruxelas, e onde, a 8 de dezembro 2020, as principais operadoras ferroviárias assinaram um acordo por uma nova rede europeia de comboios noturnos.

Esta é apenas a quarta vez na história que Portugal está isolado da ferrovia europeia. Em 133 anos, só aconteceu durante a Guerra Civil Espanhola e as duas guerras mundiais. Neste momento, para além de Atenas, Lisboa é a única capital europeia sem uma única ligação ferroviária internacional.

Em França, um novo comboio noturno vai ser lançado justamente entre Paris e Hendaia, o destino histórico do Sud Expresso. A primeira viagem vai partir a 1 de julho às 21h14 de Paris-Austerlitz e chegará na manhã seguinte às 10h40 a Hendaia. Essa noite, os passageiros poderão tomar o Sud Expresso para Lisboa?

 

fotos : “Precisamos dos nossos comboios noturnos” – Ação do coletivo “Oui au train de nuit” em Hendaia em setembro de 2021, pela reativação do Sud Expresso e por melhores ligações ferroviárias entre França, Espanha e Portugal. E ação na Alemanha da rede Back on track por mais ligações noturnas na Europa.

4 Replies to “Há dois anos à espera do comboio. Pela reposição do Sud Expresso e do Lusitânia”

    1. Já! E sem demoras, mesmo que «justificadas»… Liguemo-nos, umas e uns com outros, para fazer prevalecer este projecto, que poderá ser «símbolo» paradigmático de uma mais uma reivindicação: a criação de uma rede ferroviária plenamente NACIONAL, capaz de chegar aos sítios mais desprezados nos últimos anos pelo liberalismo financeiro e pelos que juraram a Constituição enquanto proposta de «construção de um país mais livre, mais justo e mais fraterno» (do Preâmbuilo da CRP, revisão de 2005). Não esqueçamos: existem populações, neste país, que se não for o «carrinho» privado (ou táxi, se o houver!), não conseguem sair do seu «local esquecido», onde nem as campanhas eleitorais, de qualquer um dos partidos, ali chegam. Um modelo de «xenofobia», ou seja hostilidade/desprezo pelos que ainda conservam a Terra, o prazer de viver e espaços únicos de humanização do Viver.

Leave a Reply

Your email address will not be published.