ATERRA apoia mobilizações na Extremadura por um comboio sustentável, público e social

Hoje, 8 de setembro, a população da Extremadura mobiliza-se por um comboio que vertebre o território e arrefeça o planeta. Entre as exigências estão melhores conexões entre esta região do Estado Espanhol e o vizinho Portugal. A campanha ATERRA apoia a iniciativa e reproduz o manifesto:

Comboio, justiça e dignidade

Algures na nossa memória colectiva, o eco do protesto contra a central nuclear de Valdecaballeros ainda hoje ressoa, há 43 anos, na cidade extremenha de Villanueva de la Serena. Foi o maior acto de dignidade e rebelião do povo da Extremadura desde 25 de Março de 1936 com a ocupação colectiva de terras. Muitos de nós que aqui estamos hoje participaram noutros protestos e mobilizações.

Hoje, 8 de Setembro de 2022, no Dia Oficial da nossa terra, as mesmas razões e argumentos de então nos reúnem aqui: a Extremadura já não é nem será enganada pelos governos e administrações das regiões autónomas ou pelo Estado.

Os extremenhos querem que este novo acto de rebelião e dignidade se torne uma política ferroviária pública abrangente para a Extremadura. Isto implica a evitar a simplicidade de pensar que o problema será resolvido com a linha de alta velocidade. Foi precisamente isto que o governo central, com a cumplicidade da Junta de Extremadura, nos tentou fazer acreditar com duas farsas a que chamaram inaugurações da chamada primeira fase, Plasencia-Badajoz; cerca de 135 km de um total de 189 km, tendo em conta que há ainda 210 km a completar até Madrid, e que para ligar a Lisboa haveria mais 230 km.

A verdadeira surpresa veio mais tarde, com múltiplos erros e atrasos após a espampanante inauguração da linha com o Chefe de Estado, o que sugere que estavam à procura de um novo acto de propaganda política e não da vontade de resolver um dos maiores problemas da Extremadura: o abandono e desmantelamento da sua rede ferroviária. Após 40 anos de promessas com anúncios de datas não cumpridas, dizemos em frente ao Congresso dos Deputados; “BASTA YA”.

NÃO TEREMOS NADA PARA INAUGURAR ATÉ QUE:

1. A infra-estrutura electrificada de via dupla com Madrid seja concluida, que permitirá viajar para o centro e outras partes de Espanha e da Europa sem emissões de gases com efeito de estufa num prazo razoável e sem ter de encerrar estações nas regioes.

2. Haja uma ligação ferroviária entre a Extremadura e Castela e Leão. Precisamos de ligar Plasencia com Astorga. Precisamos de aproximar o comboio de Plasencia e ligá-lo ao norte da península.

3. Haja uma rede intermodal na Extremadura que permita a ligação das zonas rurais com as suas sedes municipais, onde existam serviços ferroviários para passageiros e mercadorias que permitam a estreita interligação para ir trabalhar, estudar e outras actividades diárias ou semanais.

4. As ligações com a Andaluzia, Castela, Leão, La Mancha, Levante e Portugal sejam reforçadas. As frequências, rotas e estações devem ser reforçadas para ligar pessoas e bens de média e longa distância. Melhorar os horarios que nos permitem estabelecer uma ligação com outras linhas nacionais.

5. Não se projete enterrar a linha ao passar por Navalmoral de la Mata, deixando a cidade dividida por um muro, impedindo o desenvolvimento social e económico de uma das principais cidades da Extremadura.

6. Se promova a utilização dos transportes ferroviários e públicos para toda a família, para que possam deixar o carro em casa, tanto por razões económicas como ambientais, tanto transportes públicos gratuitos ou mais baratos, bem como ajustar os horários, frequências e qualidade às necessidades de mobilidade da vida diária das pessoas. Esta sera uma forma essencial de reduzir as emissões de gases com efeito de estufa, ao evitar a utilização de veículos privados, quer sejam combustíveis fósseis ou eléctricos, aos quais nem todas as pessoas poderão aceder, nem existem minerais suficientes na crosta terrestre para se ter um veículo para cada família.

7. As pessoas que vivem na Extremadura deixem de ser discriminadas por razões de rendimento e de local de residência, tal como indicado no Relatório de Gestão do Provedor de Justiça do Reino de Espanha de 2019.

8. O transporte ferroviário de mercadorias seja promovido, o que, juntamente com uma maior mobilidade das pessoas, impulsionará a indústria, o comércio local, o turismo e o intercâmbio cultural.

VAMOS CONTINUAR A FAZER EXIGÊNCIAS ACTIVAS:

Para garantir que não há mais desculpas, esquecimento e procrastinação….

1. Ao solicitar uma reunião com o Ministro dos Transportes, Mobilidade e Agenda Urbana, a fim de lhes apresentar as propostas que esta Plataforma traz aqui hoje, uma vez reconhecidos os erros, a pressa e as falsas inaugurações.

2. Com o registo na sede de soberania nacional destas mesmas propostas ao Ministro, dirigidas à Comissão de Transportes, Mobilidade e Agenda Urbana para que se possa realizar uma nova reunião monográfica, mas desta vez com a presença informada do povo da Extremadura.

3. Com o pedido de atribuição das dotações orçamentais necessárias para pôr fim ao declínio da qualidade das infra-estruturas e serviços ferroviários na Extremadura, com uma rede ferroviária de qualidade e as medidas necessárias para ligar os nossos terrenos ao resto de Espanha, aproximando as estações dos municípios e evitando construir muros que tornem a cidade menos habitável.

Para garantir que não há mais atrasos e falsas promessas eleitoralistas

Os extremaduranos mobilizar-se-ão tantas vezes quantas forem necessárias. A Extremadura não está resignada. Reivindicamos aquilo que para nos é justiça: um comboio que vertebra o nosso território, que arrefece o planeta, um comboio sustentável, público e social. Um comboio e transportes públicos que não discriminam em função dos rendimentos e do território e facilitam a vida quotidiana dos cidadãos da Extremadura.

ORGANIZAM:
Movimiento por el Tren Ruta de la Plata, Plataforma No al Muro de Navalmoral, SOS Talavera, Adenex, Ecologistas en Acción de Extremadura, Red de Autónomos de Extremadura, Extremeñería, Fridays for Future, Sindicato 25 de Marzo, Sección Federal Ferroviaria de CGT, COESPE Pensionistas de Extremadura, FACUA Extremadura, Siberia Cultural, ATERRA, Coordinadora Estatal del Ferrocarril Convencional, Asociación 25 de Marzo, Coordinadora Estudiantil de Badajoz.

APOIAM:
Extremeños, Izquierda Unida Extremadura, Más País Extremadura, Verdes-Equo Extremadura, Podemos Extremadura, Por un Mundo Más Justo.

Leave a Reply

Your email address will not be published.